Analytics:

sexta-feira, outubro 12, 2007

Farra dos Gêneros*

Tony Parsons


Por que as mulheres não deveriam beber (muito)
Arena, novembro de 1993
Por: Tony Parsons
Tradução: Alyne Azuma


Por que uma mulher nunca deveria ficar bêbada? Porque beber faz as pessoas falarem alto, as torna repugnantes, sentimentais, autocomiserativas e burras. E é claro que a maioria das mulheres já é assim completamente sóbria.


Existem algumas coisas neste mundo que as mulheres fazem melhor que os homens. Fazer compras, chorar histericamente, e limpar a casa – as mulheres fazem isso brilhantemente e nós deveríamos ir para o bar e deixa-las continuar fazendo. Mas uma das coisas que as mulheres deveriam deixar para os homens é a bebida. Ficar bêbado é como ter um bigode. Fica bem num homem e horrível numa mulher.

A bebedeira não cai bem em todos os homens, obviamente. Depois de duas doses, algumas cervejas e meia garrafa de chardonnay, a maioria dos homens não se torna uma pessoa melhor. Aliás, eles estão mais propensos a se tornar trogloditas que prometem amizade eterna num minuto e ameaçam quebrar sua cara no minuto seguinte. Mas, enquanto alguns homens são bêbados ruins, todas as mulheres são bêbadas ruins.

O lado negro da embriaguez é a voz elevada, a violência acidental, as risadas loucas e o sexo imprudente – ela faz o homem fazer papel de idiota. E faz a mulher fazer papel de louca. Existem alguns homens – urbanos sofisticados, amantes da vida – que conseguem lidar com a bebedeira. Depois de um dia difícil no trabalho, um pouco de excesso etílico realmente tem o poder de melhorar alguns de nós. Depois da pressão e do estresse no mundo do trabalho, com algumas doses, ficamos mais relaxados, mais abertos e mais falantes.

Mas você já conheceu alguma mulher que precisasse ficar mais falante? Muita bebida tende a tirar a dignidade, o orgulho e a calcinha de uma mulher – geralmente nessa ordem.


O álcool é uma coisa poderosa. Ele pode deixá-lo mal. Às vezes você toma algumas taças de vinho e rapidamente começa a questionar o sentido da existência. Este tipo de introspecção temperamental e filosófica não cai bem numa mulher. Porque elas são criaturas mais intuitivas que cerebrais, e ficam tristes e amargas. Isso as faz pensar demais – e essa não é sua especialidade.

Depois de alguns drinques, um homem pode dizer algo como: “Se Deus realmente existe, por que Ele permite tanto sofrimento no mundo?”. Mas é mais provável uma mulher bêbada dizer: “Minha mãe me avisou sobre você, e ela estava absolutamente certa, seu canalha!”.

A bebida tende a enfatizar tudo o que é desagradável numa mulher. Se ela é um pouco vulgar, o álcool vai fazer com que ofereça um boquete ao garçom. Se ela for supersensível, a bebida vai fazer com que vire mesas, jogue pratos e corte suas roupas com uma tesoura. Se ela tem uma personalidade mais melancólica, beber vai torná-la suicida.

A bebida é o veneno do coração feminino. Não importa qual seja sua personalidade, ela vai ficar muito pior ao beber.

Alguns homens parecem maravilhosos quando bebem. Tenho um amigo que, quando está muito chapado, inclina-se na cadeira, adquire um olhar distante e fica com um sorriso secreto nos cantos da boca. Cerca de dois minutos depois ele literalmente cai da cadeira, mas, no curto período que antecede a queda, é uma companhia encantadora e fascinante.

Mas a namorada dele bebe praticamente a mesma quantidade e nada acontece com ela. Ela subitamente desenvolve um desejo incontrolável de discutir o cinema francês. Como é de se imaginar, isso acaba totalmente com a noite.

Existem aproximadamente dez milhões de mulheres maravilhosas no mundo. Mas nenhuma delas se torna mais interessante, mais atraente ou mais adorável quando bêbada. Não importa se ela é uma profissional bem-sucedida com um diploma ou uma Hasfrau de bairro com uma corrente de ouro no tornozelo, o álcool revela seu pior lado. Há uma certa vulgaridade numa mulher bêbada. Uma mulher bêbada parece – e tende a agir – como uma prostituta barata. E eu não tenho interesse em discutir cinema francês com ela. Tenho vontade de vendê-la aos marinheiros.


E apesar de alguns homens se tornarem mais charmosos, extrovertidos e falantes por causa da bebida, com toda honestidade, o álcool geralmente faz com que a gente se comporte mal também. Tentamos convencer completas estranhas a ir para cama conosco, entramos em discussão com seus namorados, urinamos pelas janelas dos trens. Ok, já fizemos isso. Mas não existe nenhuma mulher na face da terra que fique bem tentando urinar pela janela de um trem.

Existem homens que bebem e ficam sentimentais, deprimidos e incoerentes. Isso certamente não fica bem neles. Mas fica ainda pior numa mulher. E se um homem quer uma mulher sentimental, deprimida e incoerente, ele pode simplesmente ficar em casa com a esposa.

Beber é departamento dos homens. Pubs, bares e boates – são o habitat natural da espécie masculina. É bom que as mulheres estejam lá, mas se estiverem falando muito alto, fazendo papel de idiotas, contando piadas estúpidas – se estiverem bêbadas – acaba a graça. Quem quer uma mulher que se comporte exatamente como um homem? Quem usa as calças aqui? Quem paga as bebidas?

Ok, ok – a mulher moderna paga suas contas. Mas a heterossexualidade é a celebração das diferenças. Uma mulher bêbada age como uma imitação barata de um homem.

O álcool é uma droga poderosa e ninguém pode realmente prever os seus efeitos. Depois da terceira garrafa de Tokay, é impossível dizer como você vai se sentir. A roda da intoxicação – nunca se sabe onde ela vai dar. Você não sabe se vai passar a noite inteira rindo, se vai entrar numa briga com um policial ou se vai acordar sem roupas num beco, amarrado a um poste a apenas alguns bairros de distância de onde seus amigos esconderam suas roupas. E nenhuma mulher deveria ficar tão fora de controle. Eu concordo com a Camille Paglia neste assunto – é perigoso demais para uma mulher. Somos iguais, mas diferentes.


Não estou pregando que as mulheres deveriam se abster do álcool. Longe disso! As mulheres deveriam beber um pouco. Assim como fazer massagens, pregar botões e trocar pneus, é uma das habilidades que toda mulher deveria ter – assim como todo homem deveria saber cozinhar, cuidar de bebês e operar a máquina de lavar sem precisar ligar para sua mãe.

As mulheres deveriam poder dar um gole de spritzer ou até – em ocasiões muito especiais – uma pequena taça de vinho branco. Porque não existe nada pior que sair pra jantar com uma mulher, pedir uma garrafa de vinho e ter que bebê-la sozinho. Quando um homem sai com uma mulher que não bebe nada, ele sempre acaba mais bêbado do que pretendia.


Mas o problema é que as mulheres ou bebem muito pouco, ou bebem demais. Ou elas são incapazes de sentir o cheiro do avental de um barman sem ficar completamente bêbadas, ou não sabem quando parar. Quando uma mulher começa a pedir um aperitivo, uma segunda garrafa de vinho e um conhaque, você imediatamente deveria jogar o telefone dela fora. Ela vai ser ruim de papo e igualmente ruim de cama.

A bebida não é um afrodisíaco para nenhum de nós. A bebida não é como tomar um spanish fly – é mais como colocar um pijama hermeticamente fechado.


Apesar de tentarmos embebedar as garotas do bairro quando somos adolescentes para que possamos fazer aquilo com elas, na verdade, existe pouco prazer em fazer amor com uma mulher bêbada. Só fizemos na adolescência porque não havia outra possibilidade. Mas na cama uma mulher bêbada ou é totalmente inerte, deitada lá como um peixe morto, ou vai para o extremo oposto e imagina que está num remake de Atração Fatal e fica se balançando em cima da pia até ficar verde e perguntar: “Rápido, onde é o banheiro?”. De qualquer forma, você não está realmente transando com ela. Você está apenas comendo uma bêbada.


Mas, se existe uma coisa pior que uma mulher bêbada, é uma mulher de ressaca. Uma ressaca – boca seca, olhos doloridos, estômago revirado cabeça latejando e uma autodepreciação de doer – é ruim o bastante quando acontece com você. Quando acontece com uma mulher que acorda ao seu lado, é ainda pior. Quem quer acordar ao lado de alguém que está tão mal quanto você?

Então por que elas fazem isso? Por que as mulheres modernas – amigas, colegas, amantes – tentam beber como homens? Por que não conseguem se contentar com algumas taças de vinho espumante e uma porção de amendoim? Porque elas cresceram ouvindo as megeras escandalosas do feminismo dizendo que homens e mulheres são iguais. Tudo que podemos fazer, elas também podem. Nem fodendo. Homens e mulheres são iguais, mas definitivamente não são a mesma coisa. Quando as mulheres ficarem bem de bigode e mijando das janelas dos trens, eu estarei pronto para beber pra valer com elas.

Chegou a hora de todos os homens admitirem que não aprovam mulheres bêbadas. Lá no fundo, nenhum homem quer estar ao lado de uma mulher cambaleando, enrolando a língua, rindo alto, falando alto, flertando com qualquer coisa que se mova, vomitando no táxi a caminho de casa, e que em seguida mergulha numa depressão profunda. Nenhum homem quer sair com uma chata ou ir para a cama com um peixe morto. Nenhum homem quer uma mulher bêbada.

Elas nos constrangem, enojam e envergonham. E, mais importante, elas nos fazem derramar nossa bebida.

***** **** *** ** *

* Retirado do livro Disparos no Front da Cultura Pop - editora barracuda

Nenhum comentário: