Analytics:

segunda-feira, janeiro 07, 2008

(Ainda) Os Melhores do Ano

Lisa Kekaula, do Bellrays


Voltando à normalidade letiva (o que inclui um retorno à periodicidade costumeira, abandonada por culpa d’As Festas), Goiânia Rock News fecha a temporada anual das listas com as últimas tabelas de Melhores de dois mil e sete. Além disso tem mais um porção de textos curtos, assinados por gente que entende do riscado e que revelou, a convite deste blog, suas predileções musicais do ano que terminou na semana passada.




Melhores Shows de dois mil e sete:

Os argentinos do Vudú (que vi pela primeira vez em dois mil e seis, no festival Demo Sul, lá no Paraná), fizeram o melhor show do ano, olhando de cá. Mas os californianos do Bellrays estão ali, disputando nariz a nariz, a liderança da lista. O Sepultura deixou os indies sem jeito, arrematando para si a posição de melhor show do maior dos festivais deles, e a molecada que se estapeia pelo Matanza perdeu a chance de aprender a lição no “baile” que o Deceivers deu nos cariocas – no quesito Músicas para Beber e Brigar –, lá nas dependências apertadas do Clube Social Feminino.


No mais, teve o Violins em show emocionante, ocupando o palco charmoso do Bolshoi Pub para lançar o Tribunal Surdo; o Macaco Bong impressionando mais gente, lá na capital federal; teve também a candura lacrimosa dos mineiros do Monno e do Pato Fu (de show e disco novos); a violência etílica do MqN e a ferocidade dominada do Mugo, além do “suínge” goth-pop dos paulistanos da The Name, que fizeram da sua, uma das melhores meias-hora do Goiânia Noise. Isso sem contar todo o resto, vai lendo aí:




Vudú no Ziggy Box Club

Bellrays no Porão do Rock (Brasília – DF)

Sepultura no Goiânia Noise

Deceivers no Clube Social Feminino

Violins no Bolshoi Pub, Lançamento do Tribunal Surdo

Macaco Bong no Porão do Rock (Brasília –DF)

Monno no Bananada

Pato Fu no Goiânia Noise

MqN na inauguração do Ziggy Box Club

Mugo no Martim Cererê

The Name no Goiânia Noise

Patife Band no Festival Calango (Cuiabá – MT)

Móveis Coloniais de Acaju no Goiânia Noise

Debate no festival Calango (Cuiabá – MT)

Cordel do Fogo Encantado no Goiânia Noise

Battles no Goiânia Noise

Forgotten Boys na festa de aniversário da extinta revista Decibélica

Seven no Ziggy Box Club

Lesto! no Release Alternativo

Galinha Preta no Bananada




Dispensáveis e/ou não recomendáveis

Born A Lion, tanto no Bananada quanto no Porão do Rock (Brasília – DF)

Kassin+2 no Goiânia Noise

Moptop no Porão do Rock (Brasília – DF)

Matanza no Clube Social Feminino

Thuata de Danam no Porão do Rock (Brasília – DF)

Lord Crossroad no Festival Calango (Cuiabá – MT)

Control Z no Goiânia Noise

Valentina - Tanto no Bananada quanto no Goiânia Noise

Woolloonggabbas - Tanto no Bananada quanto no Goiânia Noise

Lenore no Ziggy Box Club




Lista dos melhores shows de dois mil e seis (publicada em 31/12/06)


Melhores Shows - Goiânia Rock News
1º - Ratos de Porão fechando o Goiânia Noise Festival.
2º - Pata de Elefante no teatro Zabriskie.
3º - Mundo Livre S/A no Caverna Rock Club.
4º - Violins no Bananada.
5º - Los Porongas no Bananada.
6º - Casa Bizantina no circo Laheto, lançando Estado Natural .
7º - Fossil no Goiânia Noise Festival.
8º - Rollin’ Chamas fechando o Bananada.
9º - MqN no Zabriskie, lançando o single Buzz In My Head
10º - Pedra 70 no Omelete Rock Club


Honra ao mérito: Satanique Samba Trio no Bananada; Olhodepeixe no Bolshoi Pub; Patrulha do Espaço no Goiânia Noise; Snooze no Goiânia Noise Festival; Debate no Goiânia Noise.






Aí embaixo mais um bocado de opiniões sobre qual o melhor disco lançado em dois mil e sete. Siga as letrinhas:



Radiohead – In Rainbows

In Rainbows –
que já apareceu no ranking dos melhores cd’s segundo o Goiânia Rock News – provocou burburinho em todos os meios de comunicação relacionados à música, ao mesmo tempo em que era tão esperado pelos fãs. O Radiohead destaca-se mais uma vez não só pelo trabalho de qualidade, com tudo o que se espera de uma banda desse porte, mas também pela atitude quanto à distribuição de música em rede. Dando ao público a opção de não só baixar as músicas diretamente do site, mas também de escolher quanto pagar por elas, mostrou que a internet é sim um instrumento poderoso e possível de ser usado por todas as bandas, sejam elas independentes ou não.


Bruna Cruz – Produtora do Festival Beradeiros (RO)



Paralaxe – Under Pop pulp Fiction
Rock eletrônico (?) dos mais psicodélicos e inventivos no Brasil atualmente.
o vocalista/letrista fred hc é capaz de misturar numa mesma estrofe – sem soar pretensioso ou pedante –, referências que vão de Tarantino à Haroldo de Campos e Zé do Caixão, passando pelo e.t. de varginha e a mítica loura do Bonfim, entre outros personagens do folclore urbano mineiro.
Radiohead – In Rainbowns: resumo perfeito de todas as fases da banda, e de lambuja uma nova polêmica no mundo musical do século XXI adicionando mais pimenta à velha discussão da música free via internet.


César Gilcevi – Baterista da Carolina Diz (MG)




Vários
Em 2007 ouvi mais coisas antigas e lançadas em 2006, gostei muito do experimentalismo poderoso e das letras do Fome de Tudo, da Nação Zumbi, além do clipe de animação foda de Bossa Nostra, embora não esteja entre os meus favoritos da Nação. De Mpb curti Estação Melodia, do Luis Melodia (que tinha visto em um show no Flamboyant e fui escutar o disco), que tem a ver com essa volta dos que não foram (o samba), embora Melodia fale que já tenha esse projeto há muito tempo... e achei muito bom o Rodopio do Luiz Tatit (que é sempre genial!), gravado ao vivo e dá uma noção geral da obra do compositor.


Ah! Não podia esquecer de falar do esperado disco do Vanguart, que só me fez sentir orgulho de ter nascido em Cuiabá (rsrs). Muita gente já sabia do potencial da banda e isso foi complementado com a excelente produção do disco. De Goiânia o que mais me tocou (do que ouvi) foi o do Motherfish, que tem belos momentos! O rock garageiro de Bitter do Júpiter Apple é, no mínimo, interessante por mostrar outra faceta dessa Maçã camaleônica (Uma Tarde na fruteira deve ter sido o disco que descobri em 2007 que mais ouvi, e é, não apenas interessante, mas IMPRESSIONANTE!)


Internacional não ouvi muita coisa, mas achei muito massa a iniciativa do Radiohead – In Rainbows (É sempre bom escutar uma banda boa inovando sem perder a qualidade)- e o Battles (que conheci no showzaço no Noise), que deu um nó na minha cabeça com o Mirrored. Curti o sintetizador de Icky Thump do White Stripes, que é um disco que está aí pra mostrar Jack White se consolidando como um dos melhores compositores dessa geração e uma das mentes mais criativas e inquietas. Acho que é isso.


Diego de Moraes – Cantor, compositor e líder d’Os Imoraes



Violins – Tribunal Surdo
E pensar que tudo isso (tudo inclui os shows, o cd lançado em 2007 e o próximo álbum, já gravado, Redenção dos Corpos) se torna possível graças à mobilização dos fãs diante do anunciado fim da banda que mais vale a pena em Goiás. Ao escolher Tribunal Surdo como o álbum do ano, preciso agradecer muito a todos os que reclamaram, e choraram, e espernearam, e conseguiram convencer o Violins a seguir firme e cada vez mais forte. Apesar de eu ainda preferir escutar bandas da velha guarda, Violins faz valer a vontade de ouvir repetidas vezes canções como Grupo de Extermínio de Aberrações e Campeão Mundial de Bater Carteira, especialmente se esse desejo vier acompanhado de um again dos já clássicos Grandes Infiéis e Aurora Prisma. Que venha a próxima criança!


Túlio Moreira – Repórter Cultural Rádio Universitária



*****




# A paulista The Name, que goza de um bom lugar na lista lá em cima, e é dona do ótimo Gone – EP que reza com devoção na cartilha do rock gótico oitentista, e que está entre os lançamentos mais interessantes de dois mil e sete -, entregou ao mercado, dia desses, mais um aperitivo. Trata-se do single Older, que traz a faixa título (em duas versões: a oficial e outra ao vivo nos estúdios da Trama), e I Wish, as duas carregadas de um vocabulário pop apurado, cheio de referências dançantes do lado mais escuro e enfumaçado das pistas exageradas dos anos oitenta.


# # Gone, por sua vez, foi lançado no apagar das luzes de dois mil e seis e traz cinco canções que escondem uma linguagem própria, apesar da aparente derivação obrigatória do gênero. Numa receita que se utiliza da estética gótica para embalar canções genuinamente pop, Gone é capaz de despertar tanto o saudosismo dos grisalhos que se deixaram seduzir pelo rock inglês de outros tempos, quanto a curiosidade dos novos descobridores de sons, afogados num mar de “next big things”, tão passageiras quanto inofensivas.


# # # Gone e Older estão disponíveis para o vosso download no site do trio. Vai lá.




# Outra banda bacana que está com disco novo na praça é a Revoltz. Beijo no Escuro, estréia dos porto-alegrenses/cuiabanos, é o resultado festivo da fusão entre a alegria chapada da new wave com a ingenuidade sedutora da jovem-guarda, sintetizada sob a forma de pop songs guitarreiras, divertidas e disfarçadas com a suspeita despretensão das melhores garage bands.



# # Hey You não esconde a ousadia rebelde que rima, citando o guitarrista dos Chili Peppers: “A vida toda é uma festa/ E a minha acaba na floresta/ Simplesmente dois amantes/ Como a guitarra e o Frusciante”, enquanto Ina carrega numa ambigüidade malandrinha para declarar: “A pior cegueira que existe é não ter paz no coração/ Ina, ina você mudou minha razão/ Ina, ina, seu gosto esperto, reto direto no meu coração.”




# # # Beijo no Escuro está integralmente disponível para download, no site do grupo. Se eu fosse você eu dava uma olhada.




E pra começar bem o ano novo Goiânia Rock News leva a sorteio, entre sua honrada audiência, dois ingressos para o show recomendadíssimo da Black Drawing Chalks, que se acompanha do Envy Hearts para fazer barulho no palco do Omelete Club, dia dezessete agora, o que dá numa quinta-feira.


Além das entradas free, quem quiser pode pedir uma cópia oficial em digi-pack da SoFun Hits, compilação grã-fina que o pessoal do coletivo de design e rock n’ roll botou no mercado no fim do ano passado. Tem uma porção de coisas legais, como as mineiras Enne e Monno, além de Violins, Mugo, Black Drawing Chalks, Grape Storms, Rollin Chamas, Motherfish, Bang Bang Babies, Redlight, Moldest e o George Belasco & O Cão Andaluz, entre outros.


Pra ganhar é só dizer qual show você gostaria de ver em Goiânia nesse ano que começa, anotando também seu nome e um e-mail válido para contato, tudo ali na caixa de comentários. O Resultado sai na véspera dos shows.


Fui



17 comentários:

Anônimo disse...

Não bastasse as opiniões muito ruins e o texto vazio, ainda tem essas merdas de "dois mil e sete", "cedê". Vai pra putaquepariu. Que viadagem é essa! Que merda esse blog

MQN disse...

Rapaz, esse show na Ziggy Box foi bom mesmo, eu nem me lembrava que era de 2007!
HEHEHEHEHEH

Joao Henrique Geraldini disse...

Gostaria de ver Ovos Presley aqui em Gyn!

e-mail: joeygeraldini@hotmail.com
joeygeraldini@gmail.com

Ana disse...

kero ver Superguidis d novo

kero ver o BDC nesse show ai

abahbright@gmail.com
beijuss

Tibério disse...

Tibério Santos de Paula

tiberiosantos@hotmail.com


Sepultuuuuuuuuura di novo!

Thiago disse...

Queria ver o Raduihead em Goiânia hehehehe

Thiago Ferreira

diemonsterdie@yahoo.com.br

huds_on disse...

NONONONONONON

eu_hudz2@hotmail.com
hudson rabelo

Rafael de Paula disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafael de Paula disse...

"O Sepultura deixou os indies sem jeito, arrematando para si a posição de melhor show do maior dos festivais deles"

pfff.....Goiânia Noise o maior festival que o Sepultura pariticipou?!?!

exagera não...por favor..

Sergin disse...

Flaming Moe! :D


Sérgio Henrique
serque@gmail.com

Hígor Coutinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Goiânia Rock News disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Hígor Coutinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
goiânia rock news disse...

"O Sepultura deixou os indies sem jeito, arrematando para si a posição de melhor show do maior dos festivais deles"

Do festival deles, dos indies. De outro modo ficaria completamente sem sentido. ;)

Maria Clara Dunck disse...

Achei essa lista dos melhores de 2007 digna, mas colocaria e tiraria muita coisa aí de acordo com meu gosto musical, mas essa lista aí tá valendo demais!

Ah, já ouviu a coletânea da SoFun Hits e achei muito boa, mas ainda não adquiri, então, gostaria de participar do sorteio tbm, dizendo que um dos shows que eu queria ver em 2008 já foi realizado, The Dead Rocks que aconteceu na Bolshoi já no comecinho de janeiro. O próximo quero que seja Damn Laser Vampires!

Valeu =)

Maria Clara Dunck
mdunck@hotmail.com

Túlio Moreira disse...

bão, o anônimo aí de cima não gostou, mas eu achei massa a lista (não só pq participei, haoeahoehaoehoae)

tô querendo concorrer ao sofun!

abs!

Helena Hell 27-Go disse...

Que lixo essa lista de shows, primeiro varios shows que vc falou que foram bons eu discordo, segundo falar que o show do Moptop é dispensável só demonstra a sua falta de conhecimento musical, o que deixou mais claro ainda a falta de credibilidade em todos os demais apontamentos acerca das outras bandas.
Aprenda a falar bem e se não for falar nada de bom, não fale nada. Vai por mim. Espero que tenha sido um escorregão, caso contrario vou deixar de acessar o blog.
beijos querido

só quero ver se vai apagar meu comentário.