Analytics:

terça-feira, novembro 04, 2008

"Bolo, Rolo, Casa ou Consolo"

# A banda gaúcha Pública (aquela, dona de um dos melhores singles de 2006, Long Plays, faixa de Polaris – o disco que revelou tudo que tinha de cara, e se esqueceu de que precisaria de outras músicas legais), disponibilizou três canções novas em sua página no Myspace. São elas 1996, Canção do Exílio e Casa Abandonada, que, garante o grupo, puxarão seu segundo disco, intitulado Como Num Filme Sem Um Fim, que deve subir à superfície da web no dia 24 próximo, também em sua página no Myspace.


Revoltz

1996 é delicadamente psicodélica, espacial e atenciosa nos detalhes. Já Canção do Exílio é ancorada no dance-rock inglês do fim dos anos oitenta, enquanto Casa Abandonada, enfeitada com discretos arranjos de metais, é a melhor das três, com pianinho festivo e acento britpop.


Uma amiga disse, certa vez, que nas primeiras ouvidas ficou com preguiça de Long Plays, por que era botar pra tocar e se lembrar imediatamente do Guilherme Arantes. Mas ela insistiu e hoje em dia ri dessa história, gosta da música e continua não sabendo que até o Guilherme Arantes tem coisas legais em sua discografia.


Mas até aí tudo bem, “pouca” gente sabe.


Lembra como Long Plays é legal? Lembra que o videoclipe chegou a concorrer ao VMB do ano passado?






# Outro grupo legal com notícias é o multi-estadual Revoltz (MT, MS, RS,SP), que desde sua estréia com Beijo No Escuro (lançado no começo do ano passado), não aparecia com novidades. O epê 123 (um, dois, três) foi lançado somente no site da banda, sem qualquer formato físico, e tem quatro músicas.


Lótus 123 é rock sessentista filtrado pela pós-modernidade que cresceu ao som da new wave, enquanto Seja Cereja escancara um romantismo pop, simples e cínico ("(...) Não me interessa se você tem bolo, rolo, casa ou consolo".). Loneliness mistura iê-iê-iê com a nova disco-music, e Chanson flerta com o garage-rock.

Tem pra quem quiser, é só fazer uma visita cordial à página do quarteto e arranjar um download. Lá também tem o primeiro disco, Beijo no Escuro, inteiramente ao vosso dispor.




# Já a curitibana Terminal Guadalupe começa a pensar no próximo disco, o terceiro da carreira, e contratou o produtor Roy Cicala, que já trabalhou com luminares da categoria de Jimi Hendrix, Bruce Springsteen, Aerosmith e até John Lennn. Ao lado de Apollo 9 (ex-Planet Hemp), Cicala e o grupo paranaense se enfurnam no estúdio A9, em São Paulo, durante o mês de novembro para registrar o álbum que, provisoriamente, foi batizado de Para merecer quem vem depois.


Recado dado, volto já.

Um comentário:

gulosinha disse...

Eu fico com bolo, rolo casa E consolo. hihihihi