Analytics:

quarta-feira, novembro 22, 2006

O Acre Não Existe, Pôrra!


Vudu
Foto: Talyta Singer (Espaço Cubo)




* No próximo post entra o prometido trecho do bate-papo com o Violins, que sai na íntegra na primeira edição de 2007 da revista Decibélica.

# Demo Sul:
Último dia de festival, gostão de fim de feira. Mas a VI Geração da Família Palim do Norte da Turquia conseguiu afastar o bafo de realidade da segunda feira à espreita. Rock com pitadas de punk, e muito bom humor serviram para abrir de fato os trabalhos de domingo. Destaque para 'Acre!Que Pôrra É Essa?', cujo refrão afirma: "O Acre Não Existe, Pôrra!". Uma bela canção de amor, que desacredita as aulas de geografia e mapas do Brasil em geral.

# # Outra apresentação insana foi a dos catarinenses do Ambervisions, que ao final da introdução, se apresentaram solenemente: “Boa Noite, nós somos os Forgotten Boys!”. Surf-core acelerado e gritado com doses generosas de bom humor e ironia. Zimmer, o gigante e rotundo vocalista, desfilava de máscara e percorria freneticamente todos os cantos do palco, jogando água em todo mundo e girando o microfone pelo fio. Não satisfeito, arremessou seu imenso corpanzil palco abaixo, descendo de um pulo para a platéia, onde continuou o ritual de esquizofrenia. Depois do fim do festival, lanchando com a turma no Habib’s, fico sabendo que o cara tinha ido parar no hospital, com o joelho estourado. Também...

# # # O Jhonny Suxx n’ the Fucking Boys, que na noite anterior havia tocado na vizinha Maringá ao lado dos Ambervisions e do Forgotten Boys, fez seu belo show de guitarras e poses, mas não conseguiu levantar o ânimo da platéia mais apática dos três dias.

# # # # Pra terminar a noite, depois dos locais precisos do Mudcracks, os Forgotten Boys assumiram seu posto de atração principal e reuniram o menor público dos três dias de festival para ouvir, sem muito entusiasmo, o excelente resultado de sua prolífica discografia. Começando com Stand By the D.A.N.C.E., e preferindo a versão em inglês para ‘5 Mentiras’, os garotos esquecidos não empolgaram o povo rock presente, mas mesmo assim fizeram um show redondo e profissa. Bobo do povo que não aproveitou para dançar!


*

* Textão largo e completo sobre o festival? Só na primeira Decibélica de 2007.

* * Fica assim então, guentaê que um pedaço razoável
do entrevistão com o Violins já já entra aqui!

5 comentários:

Katacultura disse...

olá, muito legal seu blog com textos bem legais. Se der dá uma passada no meu para conferir o que acha. o endereço é:
katacultura.blospot.com
Abraço
Catatau

Katacultura disse...

olá, muito legal seu blog com textos bem legais. Se der dá uma passada no meu para conferir o que acha. o endereço é:
katacultura.blospot.com
Abraço
Catatau

Katacultura disse...

olá, muito legal seu blog com textos bem legais. Se der dá uma passada no meu para conferir o que acha. o endereço é:
katacultura.blospot.com
Abraço
Catatau

Hassanz Palim disse...

� isso ae, Higor!

Aguardando anciosamente a pr�xima Decib�lica!

� prop�sito, como fa�o pra conseguir que ela chegue aqui em Maring�, cara?

Valeu. abra�os.

Hastur Palim disse...

Também quero a decibelica cara! como conseguimos aqui em maringá