Analytics:

quinta-feira, novembro 09, 2006

"Sangrar é próprio de quem adivinha lâminas"

.
.



As Virtudes do Vício

(...)

III

O vício em mim
se fez no cansaço
quando no fígado
o fogo já era fátuo.

As virtudes do vício
no vinho que sangro
pelo cálice de Alice
desfigurada.

A nódoa do vício
na uva passa:
veneno que se alastra
na decomposição da boca
para a virtude do pecado
presa na língua do lasso.


IV

Sangrar é próprio
de quem adivinha lâminas.
Sangrar no próximo
é acender amoras
em lantejoulas e jogá-las
nos olhos de quem chora.

Migrar em sangue
a mortalha da penhora.


V

Pecar, pecar,
pecar até arder em chamas.

Pecar pelo que chamas
e nunca chega.

Pecar ao ponto
do carbono original
que a carne nutre
no paraíso das delícias.

A ser vício da serpente
desfruto da árvore da volúpia
cabelos, cabides, perfume e ócio.

Pecar é meu divórcio.



Gilson Cavalcanti

2 comentários:

Gustavo disse...

Showzera viu, chapei cum a banda!

Rayan disse...

Caramba, muito foda essa poesia!